Acadêmicas de Odontologia da Facimed orientam gestantes indígenas sobre saúde bucal

Aproximadamente 20 gestantes e puérperas receberam informações de como ter uma alimentação rica em cálcio, higiene bucal e cuidados na amamentação

Segundo dados do Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), de 2010, a população indígena brasileira soma mais de 800 mil, com 305 diferentes etnias. A fim de garantir às próximas gerações melhor qualidade de vida aos indígenas, acadêmicas de Odontologia do 3º e 4º período da Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal (Facimed), fizeram orientações sobre saúde bucal na Casa de Saúde do Índio (CASAI) em Cacoal. Aproximadamente 20 gestantes e puérperas (aquelas que acabaram de dar à luz ou tiveram filhos há pouco tempo) receberam informações de como ter uma alimentação rica em cálcio, orientações sobre caries, cuidados que se devem ter na amamentação.

Segundo as acadêmicas, desde quando a mãe fica sabendo da gravidez, durante o pré-natal, ela deve ter um cuidado redobrado com a própria dentição, pois problemas na gengiva podem causar parto prematuro. “Existem bactérias na boca, no suco gengival que podem passar até pela placenta e induzir um parto prematuro, com uma linguagem bem simples falamos sobre boca seca, sobre dentes e gengiva mais sensíveis. Elas puderam tirar dúvidas em relação aos bebes e a elas mesmas. Tivemos a oportunidade de ensiná-las formas de higienizar a boquinha do recém-nascido, explicou a estudante Vitória Gonçalves de Oliveira.

Participaram da ação as acadêmicas Hadassa Araújo, Karina Behenck, Ana Paula Ribeiro, Dileusa Marinho e Vitória Gonçalves de Oliveira com a orientação da professora Zilanda Martins de Almeida.