Simulações realísticas são realizadas para preparar acadêmicos de Enfermagem da Facimed

Nas aulas práticas, os cuidados com pacientes são experiências que geram ansiedade nos estudantes de Enfermagem. Para alguns acadêmicos, a clínica é um período de receios, pois é o momento em que eles vão encarar a insegurança na realização dos procedimentos e o medo de cometer erros. Para contornar essas situações e deixar os estudantes mais preparados e confiantes o professor de Enfermagem da Faculdade de Ciências Biomédicas de Cacoal (Facimed), Laurindo Pereira de Souza, realiza simulações realísticas utilizando um ator. “Esse momento de simular casos clínicos realísticos são situações que o acadêmico vai vivenciar no dia a dia durante as suas práticas hospitalares, ele tem que saber agir. A Facimed está crescendo nesse cenário de práticas simuladas nos cursos de Medicina e Enfermagem. Nós conseguimos transformar o estudante naquele profissional que consegue aplicar as habilidades clínicas de forma segura e eficiente”, apontou.

Os cenários de simulação oferecem mais experiências psicomotoras e afetivas, contribuindo para a transferência de conhecimento das aulas teóricas para os ambientes clínicos. Nessas experiências, os professores reforçam os acertos nos procedimentos, corrigem os erros e explicam os pontos aos quais há necessidade do estudante melhorar.

Anderson Aleixo, acadêmico do 10º período de Enfermagem é quem interpreta o paciente em diversos casos clínicos. Segundo ele várias situações são simuladas. “O professor me passa um cronograma de procedimentos e eu estudo os diagnósticos, os sinais e sintomas dessas patologias, e então simulo os sintomas da doença, como vômito, dor, queixas. A grande contribuição é verificar a desenvoltura do acadêmico diante desse paciente, como por exemplo, as perguntas inesperadas. Quando você tem um encontro com o paciente ele vai questionar sobre situações criticas da doença com a visão dele mesmo, é nesse momento que se verifica como é o comportamento dos futuros Enfermeiros”, explicou Aleixo.

Para os estudantes a simulação realística é mais proveitosa, pois trocar um boneco por um ser humano que se movimenta, deixa a interação bem mais interessante.